News

12.05

// QaRtaz para Allepow //

Allepow  é segundo seu manifesto ” um fylme q se passa dentro da realidade: o cinema é controlado por W. que cerca toda a cidade com seu exército imaginário: mas o cérebro eletrônico é invadido por Vírus espalhados por ELLA e seu BANDO infiltrados na realidade! você é a personagem real do filme!”

A proposta da .txt do “QaRtaz” cria um labirtinto, um duplo, atua na  interzona entre o virtual e o real trabalhada em  “Allepow”. O cartaz (QR) leva em simultâneo ao texto do manifesto, publicado na internet, e ao filme.

cartazLivroAllepow“Allepow” Film poster / QaRtaz “Allepow”


11.05.18

// Legendas Allepow //

A .txt trabalhou na tradução e legenda do filme-manifesto do artista transmídia Pedro Paulo Rocha. O filme e o laboratório Tranzcinemas farão parte do CineAutopsia-Festival de Cine Experimental de Bogotá.

Captura de tela 2018-05-11 às 11.22.09.png


11.01.18

// Oficina // Workshop

A .txt foi convidada para dar  a Oficina do Filme Pintado na Casa de Eva, em Campinas-SP. A oficina vai acontecer  na segunda dia 22.01.18 e está pensada para crianças de 6 a 12 anos.  As inscrições estão abertas!

22_jan18_filme-pintado.jpg

.txt was invited to give a hand painted film workshop in Casa de Eva (Campinas, Brazil). The one day workshop will be held on  22.01.18 and the focus is childrens between 6 and 12 years old.


25.12.17

// Dia a dia do “Diárias” //  “Diárias”  day by day //

A .txt criou um protótipo para o livro  das traduções dos poemas de Jonas Mekas (Dienoraščiai). A aventura de verter os versos de Jonas ao português é trabalho do grupo RIVΞЯΛO e Carla Lombardo vem traduzindo ao espanhol. Esperamos até o fim de 2018 tenhamos o “Diárias” publicado!

jonas.jpg

.txt created a prototype for the book of Jonas Mekas poetry (Dienoraščiai) .The Lithuanian-Portuguese version of the poems is a work by RIVΞЯΛO group. And the spanish versions are been done by Carla Lombardo.We hope to release the final version  of “Diárias” by the end of 2018.


31.10.17

// Impresso // Print

O artista Edson Barrus nos convidou para fazer o design editorial da sua publicação:”ArTTrainnee: Cartografia de Agênciamentos Ezquizoanalíticos no Ensino-Aprendizagem em Arte”.

O artista fez uma residência na Frestas- Trienal de Artes em Sorocaba -São Paulo, no qual realizou os atendimentos (arTTrainee) nos quais artistas puderam:

“conversar sobre a suas próprias atividades através da provocação de consciência que o arTTrainee opera no artista quando conversa sobre o que faz.”

arTTrainee_1A5. papel. 500 cópias

O lançamento será dia 11.11.17 as 19:00hs  junto com no lançamento do Catálogo da Trienal, no Sesc Sorocaba, no estado de São Paulo.


21.07.17

// Legendas Forum Movimento das Imagens ano II //

Sarah_1              Still: Sarah de Julliet Cassela

A.txt foi convidada a realizar duas legendas do trabalho “Urban Stories/ Nanling-Guangzhou” de Sylvie Blocher e do video “Sarah” de Julliet Cassela.

Os trabalhos serão exibidos no Forum do Movimento das Imagens ano II um ciclo de projeções e debates de filmes experimentais e video-artes com curadoria do cineasta e curador independente yann beauvais.  A organização é da 3 e Meio Cultura em Movimento e se realizará na Caixa Cultural, em Recife.


3.07.17

// Mbyatubes – Mostra em Buenos Aires //

O trabalho da realizado pela .txt na oficina de filme e midia menor- “Mbyatubes”- será exibido na mostra Constelación Sur, na La Fragua Galeria de Arte em Buenos Aires, Argentina.

Realizado por crianças guarani mbya na Aldeia Mata Verde Bonita / Tekoa ka ‘ aguy ovy porã, no Rio de Janeiro o trabalho consiste em palavras-afetos destacadas como importantes pelas crianças, que as desenharam e logo montaram um pequeno video.  O video será exibido como uma video-instalação e pode ser visto aqui:


8.05.17

// Design de cores / Color Design //

3_paleta_sugestao_Rubia_J_maquinasJ_maquinas+paleta          Color design work made by .txt Still: Nanã

// Pt //

Esse projeto de design de cores para o filme Nanã tentou lidar com ambiguidade da cor a partir das necessidades da diégesis do filme. A paleta acima é uma das cinco que fizemos para o filme.O design de cor é um processo criativo “entre” os departamentos de arte e de fotografia. Nesse caso escolhemos ter cinco células com certa coerência entre elas e de certo modo uma livre ou instável harmonia entre os cinco grupos como um só.

Trabalhando na complexidade de um filme narrativo num contexto político violento-  Porto de Suape em Pernambuco com sua atuante milícia- Nanã feito pela Jacaré Video foi uma interessante experiência de construção comum de conhecimento e de design colaborativo.

// Eng //

This color design work for the film Nanã aims to deal with the ambiguity of color with film’s diegesis needs. The above palette is one of the five we’ve made for Nanã. The color design is a creative intermediary process between art and photography departments. In this case we’ve chosen to have five cells with certain coherency between them and somehow a loose, or unstable harmony between the five groups one.

Working in the complexity of a narrative film in a violent political context –Suape’s Industrial Port Complex with it’s militia Nanã made by Jacaré Video was an interest experience of collective knowledge construction and design collaboration.


06.04.17

// Cartaz mostra NOOSFERA //

noosfera_cartaz.jpg

A .txt foi convidada para elaborar o material gráfico para a Mostra de filmes Noosfera.  A proposta foi elaborar um diagrama capaz de sugerir o desenho das relações/informação numa noosfera (Teilhard the Chardin). Entre uma dinâmica concêntrica e um vetor excêntrico e desestabilizador  se buscou uma saída para a complexidade deste conceito.

Na mostra serão exibidos filme de artistas/cineastas : Alexandre Moura, Ana Elisa Carramaschi, Bruna Callegari, Bruno Rico, César Gananian, Diego Arvate, Enrico Porro, Fernando Akira, Gregório Gananian, Ж, Macca Ramos, MaicknucleaR, Rica Saito, e Walter Vector.


06.02.17

// Desenho e Estrutura – Cartaz para “nosotros” //

p1170915-copiacartaz: papel de arroz  50X70 cm + detalhes / poster: rice paper 50X70 cm + details

P1170847 copia.jpgdetalhe poster – outra versão / detail poster’s – other version

folder_nosotrosfolder_nosotros_vertical folder:  papel vegetal formato A4 / flyer: tracing paper, size A4

// Pt //

“nosotros” de Enrico Porro e Fernando Akira  é um filme de desenho de estrutura. montagem ao acaso, uma chance à chance (acaso) momentos frames macba manobras. O cartaz e o folder trataram o material (frames impressos) de modo semelhante descontinuando a temporalidade dos frames na construção do espaco gráfico.


23.01.17

// Entrevista con yann beauvais na  Revista La Fuga Chile //

tu-sempre-texte-arabe-et-italien-copieFrame ” Tu Sempre”, yann beauvais

A Revista La Fuga- Chile em seu número 19 dedicada a imagem técnica publicou a entrevista que a .txt fez com yann beauvais, cineasta, crítico e curador independente. Nela falamos sobre a relação entre film e texto. Os aspectos não narrativos do texto na feitura de filmes, texto como imagem e tentamos criar uma história menor dos filme-text.

// Esp //

La revista La Fuga- Chile en su número dedicado a la imágen técnica publicó la entrevista que .txt hizo con yann beauvais, cineasta, crítico y curador independiente. En ella hablamos de la relación entre film y texto. Sobre los aspectos no narrativos del texto en el hechura de un film, texto como imágen y intentamos crear una história menor de los film-texto.

// Eng //

La Fuga Magazine-Chile en a editon dedicated to the technical images published the interview that .txt made with yann beauvais, filmmaker, critic and independent curator.In this interview with Yann Beauvais we speak about the relations between film and text. Non-narrative aspects of text in filmmaking, text as image, and try to establish a minor history of film text pieces.

Link (espanhol,español, spanish):

http://2016.lafuga.cl/entrevista-con-yann-beauvais/840



02.10.16

// Eleições 2016 // Election 2016 //

devoto

VOTAR NO BRASIL É SER DEVOTO // TO VOTE IN BRAZIL IS TO BE DEVOTE


14.09.16

// Entrevista com .txt  //

A .txt foi entrevistada pelo programa Ibercultura Viva sobre a oficina de filme e midia menor que realizou em maio de 2016 entre os Mbya Guarani da Aldeia Mata Verde Bonita / Tekoa Kaaguy Hovy Porã.

film_veraProdução da video-carta Ayvu Anchtengua (Palavra verdadeira) https://vimeo.com/169409225

A entrevista completa pode ser lida em português e espanhol neste link.


18.07.16

// Letreiros / Lettering  Centro Municipal de Arte Helio Oiticica //

prueba_cartela_geral

// Pt // English bellow //

A .txt desenvolveu os letreiros para o video da exposição “Linhas do Tempo” do Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, no Rio de Janeiro. A exposição visa comemorar os 20 anos da instituição  que já exibiu  trabalhos de Richard Serra, Mira Schendel, Nuno Ramos  entre outros.

// Eng //

.txt  designed he lettering for the exhibition ” Linhas do Tempo” at Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica – Rio de Janeiro Brazil. The exhibition celebrates 20 years of the art center where Richard Serra, Mira Schendel, Nuno Ramos among others have been exhibited in the past.


10.06.16

quase_residencia

A .txt ficou de “suplente” no chamado para residências na Casa do Povo em São Paulo.

Nossa proposta – agora potência – pergunta:

Como é a vida das diversas comunidades que habitam o Bom Retiro? O que se perde em nossas trocas cotidianas mediadas somente pelo dinheiro? Esse ente abstrato que trata como semelhante -equivalente- o desemelhante.

Como essa abstração e sua homegenização penetra a subjetivação e a enunciação coletivas?

Há potência de um “comum” nesse espaço? Há possibilidade de um “buen vivir” no Bom Retiro?
De origem e prática aymara e quechua o “buen vivir” não tem tradução. É palavra própria, palavra da vida indígena que no branqueamento das sociedades e da “nossa” brasilidade se perdeu, se confundiu com o viver bem-burguês….

Que as perguntas sigam…


23.05.16

/ Oficina  filme e midia menor Mbya Guaranis / Minor Film & Media Workshop /
Taller_Ibermedia

//Pt // English bellow //

A .txt junto com Unesco Etxea, a Cultura Savia e a rede Ventana a la BioDiversidad foi contemplano pelo programa Ibercultura Viva.
O projeto foi ministrar um curso de filme e midía menor na Aldeia Mata Verde Bonita / Ka’aguy Hovy Porã, no estado do Rio de Janeiro. Foram 2 semanas de trabalhos com crianças, uma turma de jovens iniciados nas midias e um cineasta indigena – Miguel Verá Mirim. Realizamos 5 midias de palavras-afetos, duas video cartas e potencializamos um filme sobre educação Mbya guarani de Verá Mirim.

// Eng //

.txt alongwith Unesco Etxea , Cultura Savia and Window 2 Diversity got a grant from Ibercultura Viva. The project goal was to do a minor film and media workshops in a indigenous village called Ka’aguy Hovy Porã in Rio de Janeiro, Brazil. We spent two weeks working with children, a group of young adolescents an indigenous filmmaker – Miguel Verá Mirim. We’ve made 5 media materials with words-affections, two video-letters and work together in Verá’s new film about Mbya Guarani education.


04.05.16

Desist film magazine publishes .txt interview with yann beauvais:

http://desistfilm.com/q-a-yann-beauvais

yann_beauvais_Spetsai

+ about the interview :  https://textodecinema.com/2014/11/28/escrevendo-imagem-entrevista-com-yann-beauvais/


14.03.16

cartaz_Mostra_Final_web
// PT // English below //

A .txt fez o cartaz da Mostra Socioambiental de Filmes.
Ela se dedica a gerar pensamento sobre as relações entre paisagem, espaço interior, humanidade e animalidade no Antropoceno. Assim pensamos em lidar com sombras de representações de animais para pensar a presença/ausência que a nosso presente cataclisma global nos leva a pensar.

// ENG //

.txt worked in a poster for the social-environmental film screening. It’s dedicated to generate thought about the relations between landscape, inner spaces, mankind and animality in the Anthropocene. So we’ve decided to work with shadows as representation of animals, thinking about their absence/presence that our current climate catastrophe let us to think.


04.03.16

// PT // English below //

godrag10

// Eng //

.txt made an interview with Diane Torr about gender as performance , her important participation as an actress in experimental films history, such as Abigail Child and Keith Sanborn & Peggy Awhesh works amog others and her workshop ” Man for a Day”.

The interview is available in english in the Art Reveal magazine:

Here

// Pt //

A .txt realizou uma entrevista com a artista/ performer educadora ( artista_etc) Diane Torr sobre a dimensão do gênero como performance,sua importante participacão na história dos cinema experimental em filmes de Abigail Child, Keith Sanborn & Peggy Awhesh entre outros e sua oficina “Man for a day” ( Homem por um dia).

A entrevista pode ser lida em português na publicação da Revista Azmina

Aqui


25.12.15
giftChristmans GIFT // Presente de natal // Nuestro regalo de navidad

Thanks to/ Obrigado/ Gracias a / Paul Sharits “Fluxfilm 29 Word Movie” 1966


18.12.15

// Apoie a tradução do livro: Aspiro ao Grande Labirinto de Hélio Oiticica ao Espanhol //

unnamedHélio Oiticica, Metaesquema No.348 (1958) Reprodução. Acervo MoMA,Nova Iorque.

O projeto está aprovado na Lei Rouanet e Pessoas físicas e jurídicas podem doar o valor devido ao Imposto de Renda do próximo ano e contribuir para o Projeto.

Ele  consiste na tradução, publicação e distribuição do livro “Aspiro ao grande labirinto” de Hélio Oiticica ao espanhol, para sua difusão nos países hispanoparlantes.

A realização do livro será no formato físico e digital (e-book) contando este último com uma versão em audiolivro. A distribuição dos exemplares (400 livros + e-book) será gratuita.

Quem pode doar?
Pessoa física (declarante do imposto de renda)

  • Abatimento de 100% do valor incentivado até o limite de 6% do total do imposto devido em cada período de apuração
  • Exemplo: Se uma pessoa física paga R$ 10 mil de imposto de renda ao governo, pode destinar R$ 600 à ” Tradução do Aspiro ao Grande Labirinto ao Espanhol”
  • Obs.: Opção de doação disponível para declarações via formulário completo da Receita Federal

Pessoa jurídica

  • Abatimento de 100% do valor incentivado até o limite de 4% do total do imposto devido em cada período de apuração
  • Exemplo: Se uma pessoa jurídica paga R$ 100 mil de imposto de renda ao governo, pode destinar R$ 4 mil à ” Tradução do Aspiro ao Grande Labirinto ao Espanhol”

COMO FAZER ?

  • Escreva um e-mail com seu interesse para textocinema (at ) gmail.com
  • Disponibilizaremos uma apresentação do projeto (equipe, cronograma,etc)
  • Informaremos a conta corrente, indicada pelo Ministério da Cultura e administrada pela .txt texto de cinema, na qual o valor de sua doação deverá ser depositado
  • O valor será deduzido integralmente do seu Imposto de Renda

ATÉ QUANDO:

28 de fevereiro de 2016 (Domingo)

COMO RECEBER O ABATIMENTO:

  • Após efetuar o depósito, entre em contato com a .txt para que seja emitido um Recibo de Mecenato, que será utilizado para contabilizar a doação feita
  • Declare o valor doado no seu imposto de renda de 2016, anexando o recibo de mecenato à sua declaração.

03.12.15
Forum_Rio
Itinerância I Fórum Movimento de Imagens, um espaço para encontros e projeções sobre cinema experimental, filmes e vídeos de artistas. A realização do Risco Cinema e curadoria geral d de yann beauvais. O Forum tem o apoio do Centre Georges Pompidou, Light Cone, B³ e da .txt texto de cinema.


25.11.15

forum

I Fórum Movimento de Imagens, um espaço para encontros e projeções sobre cinema experimental, filmes e vídeos de artistas. O Fórum tem como objetivo relatar experiências de instituições e artistas dedicados à promoção e à defesa desses trabalhos que estão localizados à margem do cinema tradicional. Nesta primeira edição serão destacadas as coleções do Museu Nacional de Arte Moderna Centre Georges Pompidou e da Fundação Joaquim Nabuco por meio de seus curadores, Philippe-Alain Michaud e Moacir dos Anjos, respectivamente. A curadoria geral do Fórum é de yann beauvais. E tem o  apoio do Centre Georges Pompidou, Light Cone, B³, Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal da Paraiba e Aliança Francesa de João Pessoa e da .txt texto de cinema.

Programação completa: http://tinyurl.com/Forum-Movimento-Imagens-progr


05.11.15

// Nossa mourárabe estrutura de pensar// Our moor-arab thought structure //

//PT //

O livro da artista Carla Lombardo está sendo exibido no Museu da Cidade do Recife-PE, até 29.11.15. O trabalho, co-editado pela .txt, é um texto-tecido no qual a artista pensa sobre a situação brasileira contemporânea- “ nossa mourárabe estrutura de pensar” Tom Zé – usando texto coletados de turistas nas ruas e poesias. Este video mostra (de 1:28 a 1:54) alguma de suas páginas.

// ENG //

The artist book made by Carla Lombardo is being exhibited in the City Museum in Recife-PE, until 29.11.15. The work, co-edited by .txt, is a hand woven text in which the artist thinks about the brazilian contemporary situation – ” our moor-arab thought structure” Tom Zé – using texts from turists colected in the streets in 2014 and poetry. This video shows (from 1:28 to 1:54) some of it’s pages:


19.10.15

// O Inferno de Ryan Trecartin //

Captura de tela 2015-10-19 às 10.21.07

Há pouco a .txt terminou a tradução e legenda do K-CoreaINC.K de Ryan Trecartin.

No filme o artista cria um universo nos quais atores encarnam seres do mundo empresarial através de uma “nuvem de alegorias com os estereótipos nacionais (norte-americanos) voluntariamente reduzidos”. Esses seres chamados: Koreas interagem no filme em reuniões, orgias e encontros sem fim.

No texto do filme, Ryan radicaliza a linguagem usada pelas Koreas criando palavras-montagem – Evidentual– ou Relativital e paranomásias (semelhança dos significantes) do tipo: Fuck my Blackberry! / I Want a Raspberry.

Na tradução tratamos o material de modo a manter a carga de sentido sem perder as aliterações, assonância e demais aspectos fônicos das falas. Em resumo, tratamos o texto como poesia. Porém houve um aspecto do trabalho de difícil trato, o tipográfico.

Ryan no roteiro, usa caixas altas, grifos, cores, reticências e demais sempre escapando do seu uso gramatical (função), ressaltando o aspecto puramente gráfico da escritura ou por vezes, rompendo a linearidade do texto.

Nesta dimensão notamos no texto de Ryan uma interessante relação com o poema O Guesa de Joaquim Sousândrade, principalmente nas suas sessões (Cantos II e X) “Tatuturema” e “Inferno de Wall street”, escritos entre 1857 e 1888.

Neles “sua estrutura rítmica é tensa e rápida”. Os jogos léxicos, gráficos, tipográficos e estruturais do poemário são diversos:

“As estrofes são impressas em corpo menor em relação ao restante da obra, e precedidas, cada uma delas, de linhas em prosa, grifadas no Canto II e composta de corpo tipográfico ainda menor no Canto X (…). Curioso “achado” é o uso do duplo travessão para indicar a intervenção de uma segunda personagem nos diálogos”

Colocando os artistas numa linha do tempo crítica e não linear ambos parecem tratar do feroz capitalismo, no Inferno de Sousandrade, a bolsa é o “alimento perpétuo da lucromania”, em Ryan as próprias Koreas parecem seres-ações, histéricas e flutuantes, como são os processos da bolsa.

Sousândrade (1888):

(NORRIS, Attorney; CODEZO, inventor; YOUNG. Esq., manager, ATKINSON, agent, ARMSTRONG, agent. P.Offmann & VOLDO, agents, algazarra, miragem; ao meio,o Guesa:)

-Dois! três! cinco mil! se jogardes
Senhor, tereis cinco milhões!
=Ganhou! ha! haa! haaa!
Hurrah! ah!..
-Sumiram… seriam ladrões?…

(X, 5)

Ryan Trecartin ( 2009)

MK: If your not careful your extensions will Reorganize
IF your Indentity forms a UNION! I’ll Bill you Later=*
*You will have No Freedom Control,
I sent you a = Mother Soul Freedom=,
Your community service Starts=NOW=,

(…)

USAK: Compassicolic-Ish-Us ” Capital Structure” What?
OK! Re-Write+
CORRECT*
*Compassionate Capitalism, YEAH,
Re-Create, … PANGEA!

Passados mais de 100 anos entre uma e outra experiência – do inferno de Wall Street a infoesfera infernal, ao semioinferno atual- vemos aprofundar as con(tra)dições do capitalismo. É sabido que no semiocapitalismo a produção de sentido devém “parte do ciclo de produção de valor. Produzir significado já não é a finalidade da linguagem”.

Nosso alento é que em ambas experiências a linguagem é o campo último da resistência, da vida. E parece que tanto para eles – Sousândrade, Ryan- e para nós ” viver é defender uma forma”… então sigamos…

Trecartin
K-CoreaINC.K, 2009 Ryan Trecartin: https://vimeo.com/5841178

– Referências Bibliográficas

Campos, Augusto e Campos, Haroldo. Re visão de Sousândrade.Ed.Perspectiva: São Paulo, 2002
Bifo, Franco Berardi. Generación Post Alfa- Patologias y imaginários en el semiocapitalismo, Ed. Tinta Limón: Buenos Aires, 2010


05.10.15

// Mestre Ignorante – Oficina do Filme Pintado 2 // Ignorant schoolmaster- Hand Painted Filmworkshop 2

oficina_crop
Segundo trabalho resultante das Oficinas do Filme Pintado, facilitadas pelos “maestros ignorantes” (Rancière): Ж e Carla Lombardo.Filme feito por crianças (a partir de 5 anos) e adultos.

// Eng //

Second work from the Hand Painted Film Workshop, taught by the “ignorant schoolmasters “(Rancière) Ж and Carla Lombardo. Film made by children and adults.


07.09.15

// Yndependency day – Brazyl //

PACPECCRECK

Chave Léxica // Lexical Key:
PEC = Proposta de Emenda a Constituição // Constitution Amendment Proposal(PEC)
PAC= Programa de Aceleração do Crescimento // Growth Acceleration Program (PAC)


 18.08.2015

// Viagem de Ida: De There is no Ithaca a Ítaca não há //
Jonas_txt1Interview to Jonas September 2014 by .txt (Akira & Xico França).

O processo de tradução da poética de Jonas Mekas do lituano ao português tem várias etapas. Acabamos de publicar a primeira parte – pesquisa e projeto de apresentação. O trabalho é verter o “There is no Ithaca” ao português- Ítaca não Há. O ensaio está disponível para ser baixado neste link:

http://tinyurl.com/jonas-mekas

// ESP//

EL proceso de tradución de la poetica de Jonas Mekas desde el lituano al portugués tiene varias etapas. Recién publicamos la primera parte- la investigación inicial y su presentación. El trabajo es verter el “There is no Ithaca” al portugués- Ítaca não Há.El ensayo esta diponíble para bajar (solo en portugués)en:

http://tinyurl.com/jonas-mekas

// ENG//

The translation process of the Jonas Mekas poetry from Lithuanian to portuguese has several steps. We have just publish the first part of it- the research and project presentation. The work is to transcreate/translate “There is no Ithaca” to Ítaca não há (portuguese).The essay can be downloaded (only in portuguese) here:

http://tinyurl.com/jonas-mekas


10.08.2015

// .txt en Revista Laboratorio de Chile / .txt on Revista Laboratorio from Chile //
WarOnGaza 5 - copie
Frame WarOnGaza by yann beauvais(2009)

//ESP//

La Revista Laboratorio de Chile publica “Escribiendo Imágenes” nuestra entrevsita a yann beauvais.

Link para la revista: http://www.laboratoriodeescrituras.cl/escribiendo-imagenes-entrevista-con-yann-beauvais-para-txt-texto-de-cinema/

//ENG//

The Chilean Magazine Revista Laboratorio publishes “Writing Images” our interview with yann beauvais.

Link to the magagine: http://www.laboratoriodeescrituras.cl/escribiendo-imagenes-entrevista-con-yann-beauvais-para-txt-texto-de-cinema/


26.07.15

// Lance de Dados // A Throw of Dice //

cartazes post txt
Cartazes e Publicação cartoneira feitas pelos estudantes // Posters and Book done by students

capas cartoneiras

// PT // English below //

Nem só suporte, nem só mídia, o analógico e o digital são operações do pensamento.
Modulações da forma-unidades coerentes. De um lado -digital- se programam unidades variáveis, conjuntos de códigos ordenados por contigüidade. Linguagem da precisão. Lógica do controle.

“Para controlar as coisas o homens precisa digitalizá-las, traduzi-las para a forma de números e palavras”1
Do outro as modulações devém em conjuntos ordenados por similaridades, dinâmica da forma, forma dinâmica.

Com Peter Kubelka concordamos em que ” (…) não há um pensamento em si, um pensamento abstrato. Para realizar um pensamento é necessário ter um material e é necessário permanecer neste material e em cada material poder exprimir novas e outras coisas, que são intraduzíveis”. 2

Sob essas bases a .txt / Carla Lombardo promoveu um módulo de formação de jovens (entre 15 e 20 anos de idade) em design gráfico.
Os estudantes fazem parte de um Programa de Estudos de Mídia localizado no nordeste do Brasil.

A aposta foi que voltando-se sobre a materialidade das cores e da colagem o espaço gráfico digital, suas ferramentas de camadas, sobreposição de planos e arranjos de conjuntos ficassem claros. Primeiro foram feitos manualmente os cartazes dos filmes realizados pelos estudantes. Depois os mesmos foram “traduzidos” para as ferramentas dos softwares digitais. O contrário ocorreu com uma pequena publicação que tendo sido concebida digitalmente se materializou na forma de uma publicação cartonera.3

A experiência mostrou que para estes jovens com as sensibilidades hiper estimuladas neste semiocapitalismo, o passo do analogico ao digital ( e também o contrário) é um pulo, um salto, um susto. Um lance de dados.

// ENG //

Not only a media form, analog and digital are thought operations. Form modulations- coherent unities. On one side -digital- variable unities are programmed, assembled by contiguity. Precision language. Control logic.

“To control the things man needs to digitalize then, translate it into numbers and words”1 . In the other side modulations became ordinate by similarity. Dynamics of form, form dynamic.

With Peter Kubelka we agree that ” (…) there’s no thought itself, an abstract thought. To generate a thought it’s necessary to have a material and in each material be able to express new and different things, which are untranslatable”2.

With this basis .txt / Carla Lombardo promoted a training module in graphic design for teenagers (among 15 and 20 year old). The students form part of a Media Studies Program in Northeast of Brazil.

The challenge was to work with colors and collage materiality to understand the digital graphic space it`s layers tools and overlapping and assembling possibilities. First the students did the film-posters manually. After it the “same” posters have been “translated” by the digital software tools. On the contrary a small book digitally conceived have been mounted on cardboard.3

The experience taught that for this young people with hiper-stimulated sensitivities by semiocapitalism, the transition from analogical to digital (also the opposite) is a hop, a shock. “A Throw of Dice”.
1.PIGNATARI, Décio.”O que é comunicação poética”. Editora Brasiliense, São Paulo, 1989
2. KUBELKA, Peter: A Essência do. Cinema. São Paulo: Babushka, 2002,
3. http://www.eloisacartonera.com.ar/ENGversion.html



24.06.15

// Imagem pobre – o real virtualizado em EXTRATERRITORIAL //

Extraterritorial_poster

//PT // English below //

No trabalho do cartaz e das mídias gráficas de divulgação do filme/ instalação a .txt se baseou no pensamento operado no peça, sobrepondo a sinuosidade do real à degradação da imagem virtual (imagem pobre-Hito Steyerl). Mais sobre  EXTRATERRITORIAL: http://climacom.mudancasclimaticas.net/?p=3945

// ENG //

In this graphic media work for the film and installation .txt  made use of  the thought operated in the piece in which real life sinuosity is yustaposed to the virtual image degradation( poor image- Hito Steyerl). More about EXTRATERRITORIAL:  http://climacom.mudancasclimaticas.net.br/?p=3945


23.05.15

// Dia Mundial contra a Monsanto // World Day against Monsanto//

Santo T

Santo-T Latinoamérica Transgência // Saint-T Transgenic Latin America
por/by Carla Lombardo


07.05.15

// Mascara que mostra //

cartaz chingon

Otavio Paz, no célebre livro “El Laberinto de la Soledad” arrisca dizendo sobre os mexicanos (…)” entre la realidad y su persona establece una muralla.(…)El mexicano está lejos, lejos del mundo y de los demás. Lejos, también de sí mismo.” (PAZ,1997). No filme “El Último Chingón” algo disso existe, mas o contrário também. O personagem se esconde atrás da máscara para mostrar-se ao mundo. Mais que se esconder o Chingón do filme se transforma, cria um outro para encarar a vida, outro que parece creer na vida: “ Quien ha visto la Ezperanza no la olvida. La busca bajo todos los cielos y entre todos los hombres (…)En cada hombre late la posibilidad de ser o más exactamente, de volver a ser, otro hombre”. Sendo um e outro inventa a vida mostrando o paradoxo permanente de que mostra que na incurável alteridade padece o um.



02.03.15

// Arquitetura da Cor //

b3 _cartazes

// PT // English Below //

Carla Lombardo desenvolveu uma série de cartazes para o Cineclube: Imagem-pensamento em Bcúbico, Recife. Jonas Mekas, Anthony Mcall, Trinh T. Min Ha, Peter Rose, Peggy Awhesh entre outros formaram o programa.

A artista-designer fez emerger nos cartazes a arquitetura do espaço numa quase citação ao pensamento de Jonh Cage ao falar da arquitetura moderna, ele dizia que ao usar o vidro a transparência nos dava acesso aos ambientes, árvores, grama, mostrando que não existe espaço vazio:

“Não há nada como o espaço vazio ou o tempo vazio. Sempre há algo para ver, algo para escutar, de fato quando queremos fazer silencio, não conseguimos.”

Nos cartazes mais que detalhes dos filmes, o que estava a mostra era a arquitetura, a planta-baixa do Bcúbico, suas escadas… subida para um espaço-tempo determinado, onde mostrar/ver filmes experimentais faz/ia sentido.

// ENG //

// Color`s Arquitecture//

Carla Lombardo developed a poster collection for Cineclube: Image-Thought in Bcúbico, Recife. Jonas Mekas, Anthony Mcall, Trinh T. Min Ha, Peter Rose, Peggy Awhesh among others made part of the program.

The artist made emerge in those posters the space architecture “almost” quoting Jonh’s Cage thought when speaking about modern architecture, he said that when using glass transparency give us acess to landscapes, trees, grass, showing us that there’s no empty space;

” There’s no such thing as an empty space or an empty time. There is always something to see, something to hear. In fact, try as we make silence, we cannot”.

In the posters more than the film details or frames, what was shown was the architecture, the ground floor from Bcúbico, it’s stairs … going up to a determinate space-time, where showing/watching experimental fllms still make/made sense.

John Cage and the Architecture of Silence
Branden W. Joseph October, Vol. 81. (Summer, 1997), pp. 80-104.


28.01.15

Ensinando o desconhecido // Teaching the unknown

//PT// English Below //

A .txt – texto de cinema tem realizado processos de transferências audiovisuais para crianças, jovens e adultos. Nas oficinas de filme pintado se estimula um contato com a materialidade do película, com a cor, mas principalmente com ato criativo comum. Os cursos de um encontro foram realizado por Ж e Carla Lombardo em diferentes programas pedagógicos e festivais. Deixamos um pequeno registro dos processos e pulsões desses encontros.

//ENG//

.txt texto de cinema have been working in audiovisual pedagogical programs for child, young people and adults. In the hand painted workshops we stimulate the contact with the film material, with color, but most of all with the common creative act.The one day courses were realized by Ж and Carla Lombardo in different programs and festivals. Here we leave a short piece of this process.


28.11.14

Escrevendo imagem // entrevista com yann beauvais //

No cinema narrativo/comercial se relega ao texto o papel informativo no qual o sentido predomina sobre a forma. O texto nesse cinema é um elemento semântico seja ele o roteiro, o letreiro, os créditos ou as legendas. Habitando este limite a .txt-texto de cinema vem pesquisando os meandros desta relação da imagem sobre texto, da imagem-texto na criação de suas peças. Na poesia a imagem-texto apareceu como questão destacada  no método ideogrâmico de composição próprio da poesia concreta.

Ali se tencionava o aspecto simbólico do signo verbal o fazendo pulsar de modo icônico. A poesia verbivocovisual  foi/é  a implementação do “instrumento ideográfico como processo mental de organização do poema” (Santaella, Lucia. Mnemozine, 2008). Na etimologia grega da palavra russa kinematografija, traduzida ao português por cinematografia, está contida a idéia de escrever ou desenhar o movimento. Assim tanto em russo quanto em grego escrevemos uma imagem. (Sanborn, Keith This Text which is not one: Tu, Sempre) Essa noção leva já de inicio a uma ampliação do entendimento do que é a imagem-movimento (escritura).

Que seria então o texto deste cinema de escrituras de movimentos… Publicar essa entrevista com yann beauvais vem no sentido de encontrar caminhos dessa pesquisa de longa data (40 anos de cinemAtivismo) onde as relações possíveis entre imagem-movimento e texto transbordam gêneros e transgridem a teoria se transformando numa prática de escrever imagens.

Link para ler  entrevista em português:|Hambre Espacio cine experimental|

Escrevendo imagens. Entrevista com Yann Beauvais

Enlace para leer la entrevista en español|Revista Laboratório |

http://www.laboratoriodeescrituras.cl/escribiendo-imagenes-entrevista-con-yann-beauvais-para-txt-texto-de-cinema/

Link to read  the interview in  english|Desist Film|

http://desistfilm.com/q-a-yann-beauvais/

Captura de tela 2014-11-28 às 5.30.59 PMFrame de Secondary Currents, Peter Rose


22.10.2014

Studie Zur Farbe de Lucas Maia é um filme de laboratório, não só no sentido de ter sido feito completamente com materiais analógicos dentro do LaborBerlin, mas no sentido de pesquisa, de ensaio e erro -“ciência de vestígio errático”. O trabalho estuda a forma do filme, traz a cor como elemento estrutural e como movimento-motivo. Ele foi exibido no TIE no Colorado, no Flexfest na Florida, no Worms em Rotterdam, na Mostra de Cinema Periférico em Coruña e no Diffraktion em Berlim.

studie zur farbe


09.09.14
O Cineclube Imagem-Pensamento nos convidou para traduzir e legendar os filmes do seu programa. Entre os trabalhos estão filmes de Anthony Mc Call, Hollis Frampton, Gordon Matta Clark, Jonas Mekas, Peter Rose, Peggy Ahwesh, Trinh Minh-ha, Keith Sanborn, Vivian Ostrovsky e outros. Recentemente terminamos o texto-memória do Reminiscences of a Journey to Lithuania!

re1


21.07.14

Buscando a Funes de Juan Pablo Elorriaga é um filme que entrou na .txt em processo avançado de montagem.O plano de filmagem, os movimentos do ator e a montagem respeitavam um diagrama, um meta-esquema icônico e simbólico de base, com referências nos conhecimentos ancestrais mexicanos. Água,fogo,terra e ar então aparecem representados por triângulos apontando para cima ou para abaixo, e o círculo como o espirito.
O design da tipografia, letreiro, créditos e cartaz do filme foram pensados sobre esta base.

Buscando a Funes LetreiroBuscando a Funes_Letreiroscreditos simbolos1creditos nombres1


08.06.14
Faltando dias para o inicio da Copa do Mundo a ser realizada no Brasil a .txt lança o livro: “2014 na Rua” da poeta e artista Carla Lombardo. São textos-tecidos no qual a artsita explora a “mourárabe” estrutura de pensar do Brasil contemporâneo. Desenvolvimentismo, bom-gosto e as novas tecnologias são pensados na forma-livro.

capa livro


21.04.14

A.txt tem a abdução – conjecturas espontâneas da razão intuitiva- C.S Pierce- como método . Em geral a cor é o elemento estruturante principal. Itten dizia – quando falta insipiração, usamos a teoria. Do acordo desta primeira idéia (abdução) com os desejos dos diretores emergem os trabalhos, fluem os processos, se concretizam. Queriamos mostrar na prática como isso se dá e usamos o cartaz de Buscando a Funes de Juan Pablo Eloriaga para tanto.

proceso carteles funesProcesso de design do cartaz da primeira idéia ao cartaz final.



10.04.14

Poesia de cinema

Captura de tela 2017-03-19 às 17.08.49.png

O que vive não entorpece
 / o que vive fere
 /o homem porque vive
 choca com o que vive
 viver é ir entre o que vive /   João Cabral de Melo Neto
João Cabral é poeta radical, palavra-pedra, poesia como exercício duro da escritura. Palavra-concreta.
A .txt teve o prazer de ser convidada para trabalhar na telecinagem ( digitalização ) do arquivo pessoal em super-8 do escritor. As imagens indo de registros caseiros de festas a paisagens, de planos sequencias a single-frames abriram espaço para o pensamento das palavras incrustadas naquelas imagens, palavras de poeta, imagem-tempo.
O trabalho faz parte da pesquisa do filme O Poeta Americano que Lirio Ferreira dirigiu para o SescTv.
Outro filme-tributo as palavras à forma cabralina de escritura é Ser tão agua, que a .txt também teve o prazer de fazer os letreiros. Cruzes com a poesia em texto. Texto de vida. “Poesia é risco”. Palavra João.


08.02.14

A  .txt se dedicou a uma oficina sobre filme pintado no IV Festival de Arte Livre Pai da Mata em Recife.PE.
A oficina rendeu um filme-pintado radical de 16 mãos de crianças e adultos. Para aclarar o processo para os jovens cineastas criamos  uma cartilha dobrável, que publicamos na parte de textos da nossa página. É baixar, imprimir e dobrar. Se o Sganzerla falava que ainda estávamos na espera do cinema sem limites, os meninos mostram a força-mancha do cinema sem camera, sem orçamento sem …. cinema com tudo !

oficina filme pintado


25.11.2013

A .txt e a RIVERAO, começaram a trabalhar na tradução da poética do Jonas Mekas- There is no Ithaca ( Ítaca não Há). O Jonas, inspiração viva da .txt nos mandou carta abaixo, além de várias versões de radicais traduções do Vyt Bakaitis, Adolfas Mekas e outros que versaram, que verteram sua lingua:gem em outra. Viver é defender uma forma, e esse projeto defende a vida e a poesia de Jonas.

txtItaca


25.10.13

HAICAI // Quase Haicai // Casi Haicai

//PT//

Lançamos o prototipo do .txt Livro de Haicais na Darsena_Buenos Aires. Argentina. Livro peça única, texto costurado, texto-tecido.

//ENG//

We´ve release a prototype of .txt  Haicais Book in La Darsena_ Buenos Aires. Argentina. The book is an unique- hand-woven- piece

livro haikaisp1110534.jpg Katya Mora, Eduardo Molinari e Azul Blaseotto         photo/foto: Carla Lombardo

//PT // Epañol abajo //

Com três pontos acontece um plano: estrutura sobre a qual se recostam mundos. No haikai os três versos equilibram o universo. Forma de estrutura ausente o haikai povoa de estrelas o espaço infinito: folha em branco. A linguagem é seu material, materia-bruta, força viva. Com ela o homem, este animal que fala, define seu lugar: transitar a vida entre som e sentido. Haicai é feito de palavras vazias (infinitas) seu som sai do silencio. Escrever haicku a dois é abstrair-se da essência, desfazer-se do se, do “des”, fazer linguagem. Neles encontramos no ser(um) a resposta para o não ser (universo). Duas mãos, dois países. Entre a Argentina e Brasil há só terra. Entre o México e o Japão um oceano. Entre nós e os haicais: todas as constelações. Entre três países, entre palavra, imagem e som, entre estrelas, escrevemos estas palavras, pontos de um mapa, pois: “ele (o cartógrafo) quer é mergulhar na geografia dos afetos e, ao mesmo tempo, inventar pontes para fazer sua travesia: pontes de linguagem”. Roteiros, travessias, arquiescrituras de luz, arquitetura de signos. Haikais- planos, ou apenas três pontos vibrando em púrpura. Uma estrela de três pontas diz: poesia, amor, liberdade.

// ESP//

Con tres puntos se crea un plano: estructura sobre la cual yacen mundos. En el Haiku los tres versos equilibran un universo. Forma de estructura ausente, el haiku puebla de estrellas el espacio infinito: hoja en blanco. El lenguaje es su material, materia-bruta, fuerza viva. Con ella el hombre, ese animal que habla, define su lugar: transitar la vida entre sonido y sentido. El haiku está hecho de palabras vacías (infinitas), su sonido emerge del silencio. Escribir haikus de a dos es abstraerse de la esencia, deshacerse del se, del “des”, hacer lenguaje. En ellos encontramos en el ser (uno) la respuesta para el no ser (universo). Dos manos, dos países. Entre Argentina y Brasil hay sólo tierra. Entre México y Japón un océano. Entre nosotros y los haikus: todas las constelaciones. Entre tres países, entre palabra, imagen y sonido, entre estrellas, escribimos estas palabras, puntos de un mapa, pues: (…) ”él (el cartógrafo) quiere sambullirse en la geografía de los afectos y, al mismo tiempo, inventar puentes para hacer su travesía: puentes de lenguaje” . Guiones, travesías, arqui-escrituras de luz, arquitectura de signos. Haikus-planos, o apenas tres puntos vibrando en púrpura. Una estrella de tres puntas dice: “poesía, amor, libertad”